DARK KITCHEN: A GRANDE TENDÊNCIA DOS RESTAURANTES ATUAIS

Entenda porque o conceito de cozinhas compartilhadas e restaurantes fantasma fazem tanto sucesso.

DARK KITCHEN: A GRANDE TENDÊNCIA DOS RESTAURANTES ATUAIS

Restaurantes virtuais, cozinhas compartilhadas ou restaurantes fantasmas são alguns dos nomes que o modelo de negócio Dark Kitchen recebe pelo Brasil afora.

Não é uma prática de origem brasileira, mas tem ganhado o coração de diversos empreendedores que procuram investir na área da alimentação no país.

Tem origem nos EUA quando, com o crescimento dos aplicativos de entregas, empresários americanos passaram a montar novas cozinhas para abrigar mais de uma operação.

O mercado de entregas em domicílio tem crescimento constante, sendo em média 20% ao ano, de acordo com a Abrasel. E um novo formato de operação se fez necessário, que dispensa o investimento em um ponto de vendas com as portas abertas à população.

O retorno financeiro é bastante expressivo, com chances de aumento do faturamento do seu negócio em até 50%  com o delivery feito a partir de Dark Kitchens.

São as chamadas Dark Kitchens (cozinhas obscuras, em tradução livre), cozinhas instaladas com estruturas para atender apenas pedidos de delivery.

Continue a leitura e entenda como seu negócio pode faturar ainda mais!

O que é Dark Kitchen?

Uma cozinha que trabalha a portas fechadas apenas para atender os clientes de um serviço de entrega. Resumidamente e de forma direta, Dark Kitchen é isso!

Você só precisa de uma cozinha, um cozinheiro, um produto e um contrato com um aplicativo como Uber Eats, Rappi ou iFood para iniciar o negócio. Ou, ter o seu delivery próprio.

Entre as vantagens neste tipo de negócio estão a não necessidade de uma fachada nem estrutura de salão, você tem economia com mão de obra de atendimento, além dos aluguéis mais baratos do que pontos comerciais sofisticados, como ruas comerciais e shopping centers.

Por que o Dark Kitchen virou tendência?

A tendência do delivery se firmou em 2020, quando donos de restaurantes tiveram que fechar suas portas por conta da instabilidade do momento.

A saída: correr para os serviços de delivery. E o conceito de cozinha fantasma surgiu com a popularização dos aplicativos de entrega de comida.

O fato é, quem fechou seu estabelecimento não conhecia bem os números do seu negócio. E quem se firmou é porque conseguiu realizar uma boa gestão financeira e se adaptar durante aquele momento.

Mas muitos outros negócios abriram. E por que surgiram novas oportunidades de negócio em meio a uma crise sanitária e até mesmo econômica?

Não é bem dizendo que as Dark Kitchens surgiram após a pandemia, mas podemos afirmar que elas ganharam muita força ali.

Muitos empreendedores queriam reduzir os gastos com infraestrutura, espaço, equipamentos e até mesmo com o quadro de colaboradores. Foi quando se atentaram para o fato de que poderiam vender, e muito, sem que a sua hamburgueria, pizzaria, cafeteria ou doceria existisse fisicamente.

Esse tipo de estabelecimento tornou-se atraente para donos de restaurantes diversos porque requer um investimento muito menor do que abrir um restaurante tradicional.

Enquanto alguns empresários enxergam nessa tendência uma chance de fidelizar mais clientes e aumentar seu faturamento - já que no delivery não há limite de espaço físico para atender os consumidores - outros gestores estão se aventurando no setor de alimentação fora do lar com suas operações 100% voltadas ao delivery.

Cozinhas inteligentes para o delivery do seu restaurante

Outras empresas apostam no conceito de dark mall, que são espaços que disponibilizam cozinhas exclusivas para delivery.

A primeira a operar no Brasil, mais precisamente em 2018, foi a Delivery Center, que possui dark malls em Porto Alegre, Rio de Janeiro e São Paulo.

Na capital gaúcha, por exemplo, o prédio da empresa possui três mil metros quadrados e foi estruturado para acomodar vinte e sete restaurantes diversos.

Funciona assim: O estabelecimento quer incrementar suas vendas no delivery para além do restaurante físico ou operar inteiramente neste segmento, a Delivery Center fornece o espaço físico para que os alimentos sejam preparados, apoia na logística e na centralização dos pedidos.

A empresa também possui hubs de distribuição instalados em shopping centers.

A partir dessa rede, a empresa centraliza e gerencia os pedidos feitos aos lojistas desses centros de compra, sejam eles realizados pelos canais próprios de e-commerce ou por meio de aplicativos parceiros, como iFood, Rappi e Uber Eats, que são ao mesmo tempo concorrentes e parceiros.

A empresa processa um volume de 160 mil pedidos mensais. Desse fluxo, 90% são relacionados a comida.

Outra dark mall que pode ser destacada aqui é a Kitchenfy.

A empresa oferece espaços com infraestrutura completa e moderna nos melhores bairros das cidades, com o melhor custo-benefício.

  • Cozinhas completas em equipamentos;
  • Área de atendimento;
  • Ambiente de estoque;
  • E diversos outros serviços inclusos.

Veja outras vantagens que a empresa Kitchenfy oferece para você que tem um restaurante delivery:

1- Tudo pronto para seu delivery

Wi-fi, pontos de energia, água e gás com toda a infraestrutura necessária para te dar mais rapidez e menos preocupações.

2- Flexibilidade e Liberdade

Assine a sua cozinha por quanto tempo quiser, mude quando quiser e tenha mais liberdade. Sem burocracias e sem fiador.

3- Limpeza do Ambiente

Fazem a limpeza geral do ambiente comum, coleta de lixo, dedetização e controle de pragas.

4- Reparos e Manutenção

Um imóvel pode dar muita dor de cabeça. Deu algum problema ou precisa de ajuda no espaço? Eles resolvem.

5- Segurança 24/7

Sistema de segurança, central de alarmes e monitoramento para proteger sua equipe e seus equipamentos.

6- Investimento e custos reduzidos

Os valores das assinaturas são menores que os de aluguéis tradicionais e ainda oferecem diversos serviços inclusos.

Nota: Podemos afirmar que essas empresas estão mudando a forma de se fazer delivery no Brasil. Tudo isso para você ter mais tempo e se preocupar apenas com a operação de entrega do seu restaurante.

Restaurantes que seguem o modelo de negócio Dark Kitchen


Backstage Burger

A hamburgueria Backstage Burger, recém chegada ao estado do Espírito Santo, é um modelo de negócio que aposta nas Dark Kitchens.

Com pouco menos de 3 meses no mercado, oferece delivery de hambúrgueres diversos, combos e sobremesa, com entregas para bairros da cidade de Vitória e também Vila Velha-ES.

Vinicius Melo, um dos idealizadores do projeto afirma que:

“Queremos tornar a Backstage a hamburgueria mais real do país onde quem pede um lanche consegue vivenciar uma experiência de ponta a ponta completamente diferente de qualquer outra.”

Localizada dentro de um galpão de cozinhas compartilhadas onde já funcionam outros negócios voltados também para a entrega, o foco da Backstage Burger é atuar no formato de delivery pelo app da Yooga que entrega com motoboys próprios ou via iFood.

A escolha foi por um cardápio clássico e enxuto com produtos selecionados e de muita qualidade. Destaque para o “Veg”, a opção vegetariana com pão smash, queijo cheddar, rúcula, cebola caramelizada, picles, molho barbecue caseiro e o Hambúrguer do Futuro.

Black Beef

Com operações tanto em loja física situadas em shopping centers pelo país, quanto em Dark Kitchen, a Black Beef tem uma redução de 50% do custo com as operações em cozinhas compartilhadas.

No modelo Dark Kitchen, a economia mais significativa vem da estrutura da equipe, que é bastante otimizada.

Greyhound Sanduíches

No Greyhound Sanduíches a aposta é total voltada para o delivery. A casa, no Centro do Rio, não tem área para clientes. São onze funcionários, sendo seis desses os encarregados apenas das entregas, em parceria com aplicativos de delivery terceirizados. O restaurante especializado em sanduíches recebia cerca de cem pedidos por dia.

“O espaço exclusivo para entrega me permitiu ter um custo bem menor do que se eu tivesse optado por um modelo tradicional de loja”, conta Marcos Beaklini (fundador).

Desafios do atendimento no delivery

A evolução no conceito de delivery caminha para o full service, com soluções de gestão que facilitam a vida dos dois lados: empresários e clientes.

Mas, existe um desafio triplo para gestores quando o assunto é entrega em domicílio: custo, nível de serviço e reputação.

E não tem como fugir disso! O próprio mercado faz a seleção e elimina quem não atinge um certo grau de satisfação dos clientes nessas três áreas.

Para garantir a qualidade de entrega no delivery, os chefs de cozinha precisam se adaptar, e você também, porque nem tudo do seu cardápio pode ser entregue.

Um dos principais erros dos estabelecimentos é utilizar o mesmo cardápio físico para o delivery. Desse modo, é preciso que empresários avaliem a vocação de cada um dos seus produtos para a operação de entrega.

Alguns itens podem perder a crocância ou o caráter de apresentação do prato e o seu restaurante perde na qualidade.

Por exemplo, para assegurar a qualidade dos pedidos, alguns pratos tradicionais da rede Outback Steakhouse, como a Bloomin’ Onion, a cebola empanada em formato de flor, não são ofertados via delivery.

"Não entregamos a cebola porque pode chegar mal, dependendo do tempo em que a entrega for feita”, diz Pierre Berenstein, diretor-presidente da Bloomin’ Brands, que detém a bandeira Outback no País.

Em contrapartida, a rede pode convidar os clientes do seu delivery para desfrutar o prato em uma das lojas. Até mesmo, oferecer um desconto para que aquele cliente possa comer a cebola de graça em um dos restaurantes da rede.

É de extrema importância trabalhar constantemente com os chefs e assistentes de cozinha para ver como eles podem melhorar seus produtos e a adaptação de um produto para ser entregue exclusivamente em casa.

Para a operação de delivery do seu restaurante, o sabor e a apresentação são muito importantes!

São pequenas atitudes e ações que fazem com que o cliente tenha uma experiência agradável no seu delivery. Às vezes, é um molho especial entregue separado do sanduíche, a rúcula entregue em outro recipiente para que o produto não chegue com um aspecto feio ou levemente cozido, ou mesmo desenvolver uma base de pão mais espessa para evitar que o sanduíche seja entregue molhado para os clientes.

Acredite, os desafios não param por aí! Um restaurante delivery deve encarar a embalagem de entrega dos seus produtos como um investimento para a operação. E infelizmente ela ainda é vista como um custo.

O que donos de restaurante que desejam investir em Dark Kitchen precisam entender é que entregar um produto mal embalado diminui a recorrência do pedido.

Alcançar uma excelente qualidade do produto é um dos grandes desafios dessa indústria. É necessário levar em conta que muitos restaurantes que não têm início em locação física têm sua reputação construída exclusivamente em redes sociais e outros espaços on-line.

Tenha em mente: O desafio é que o seu produto esteja sempre em boas condições, além de alcançar prazos de entrega rápidos e impacto ambiental mínimo.

Para uma entrega mais ágil, com um gerenciador de pedidos integrado e relatórios de custos e ganhos para acompanhar o desenvolvimento da sua operação de delivery, conte com Yooga.