DELIVERY PRÓPRIO OU APLICATIVOS DE TERCEIROS: QUAL É O MELHOR PARA O SEU NEGÓCIO?

Contratar um serviço de entrega de terceiros, ou investir no desenvolvimento de um sistema de entrega específico para o meu restaurante?

DELIVERY PRÓPRIO OU APLICATIVOS DE TERCEIROS: QUAL É O MELHOR PARA O SEU NEGÓCIO?

10 minutos para ler

Devido ao aumento de demandas por delivery de comidas, proprietários de diferentes nichos do ramo alimentício muitas vezes acabam entrando em um certo dilema. E as principais dúvidas que norteiam esse desafio são: devo contratar um serviço de entrega de terceiros ou investir no desenvolvimento de um sistema de entrega específico para o meu restaurante?

De acordo com a Technomic, a receita gerada por jantares fora do local físico representa 44% de todas as vendas de um restaurante. Desse montante, 25% dos pedidos são efetuados com a opção de entrega. O Restaurant Business também afirma que 21% dos consumidores estão cada vez mais substituindo pedidos para viagem por pedidos de entrega. Ainda, analisando uma faixa etária em específico, entre 18 e 34 anos, esse percentual sobe para 30%.

Bom, é notável que a procura por restaurantes delivery é alta e cresce cada dia mais, principalmente para os pedidos efetuados de forma on-line. Esse processo funciona como uma ponte, unindo marca e cliente, e é fundamental para a sua fidelização. Mas quando se trata de escolher como incorporar a entrega em suas operações e gestão, os donos de restaurante têm duas opções:

1. Efetuar a inscrição com um fornecedor terceirizado de delivery para facilitar o processo de entrega em seu estabelecimento.

2. Construir seu próprio sistema de delivery por meio de um site ou telefone, e a disponibilidade de um cardápio digital.

Quer uma mão a mais para te ajudar a decidir qual rumo tomar para o seu negócio? Assista também ao vídeo Delivery Próprio: Vale a Pena?

Delivery por meio de aplicativos de terceiros

Embora haja muitos benefícios em iniciar um sistema interno de entrega para o seu restaurante, usar o modelo de delivery de terceiros tem suas vantagens. Podemos listar aqui que a principal delas é abrir essa possibilidade para estabelecimentos que estão apenas começando suas atividades ou restaurantes que ainda não podem arcar com o custo de iniciar seu próprio serviço de delivery.

Esses aplicativos, como iFood, Rappi, Uber Eats e tantos outros já disponíveis, também servem como uma ótima ferramenta de marketing. Expandem o alcance do seu negócio para clientes que você nunca teria alcançado de outra forma, tornando seu produto e serviço mais acessíveis e aumentando suas vendas.

Então, como realmente funciona o delivery terceirizado?

Essas empresas têm aplicativos com um fluxo infinito de opções de restaurantes. O serviço é voltado para os amantes de delivery, para quem busca uma refeição no conforto de casa ou para consumidores que procuram uma forma de agilizar seu dia a dia.

Se você tem um restaurante, carrega facilmente as informações do seu cardápio e demais informações cruciais no aplicativo. Os convidados têm à mão todas as opções do seu cardápio e fazem o pedido diretamente do celular para o sistema interno do app, onde um expedidor chama os pedidos para a sua cozinha. A automatização da operação permite que o seu cliente acompanhe todo o processo do pedido, a finalização do prato e até quando o pedido sai para a entrega.

Parece realmente a decisão ideal, certo? Mas antes de se decidir é necessário ter ciência dos diferentes custos e regras que cada plataforma e aplicativo carregam. Se você optar por trabalhar com um fornecedor de delivery terceirizado, é padrão que ele receba uma porcentagem de cada pedido que enviar para você. O Uber Eats, por exemplo, cobra uma taxa de aproximadamente 30% de cada cheque que chega ao restaurante de pedidos realizados via app. E esse pode ser um custo intolerável para restaurantes que operam com margens mínimas.

Analise bem cada uma das vias que pode seguir para implementar um sistema de delivery viável para o seu negócio e que ofereça a melhor experiência aos seus clientes.

Em contrapartida, o delivery próprio se mostra como uma saída para aumentar os lucros.

Em um artigo com o objetivo de descobrir o que os clientes de um restaurante desejam em sua experiência externa, o já citado aqui Restaurant Business descobriu que 78% dos pedidos de entrega são feitos pelo próprio restaurante. Enquanto isso, apenas 22% dos pedidos são feitos por empresas de entrega terceirizada. Portanto, se você estiver interessado em manter a entrega interna em vez de se inscrever em um serviço de entrega terceirizado, esses dados são bastante encorajadores.

Criar e operar seu delivery próprio traz maior controle sobre a experiência do usuário. E uma garantia que você terá, é que seus clientes irão desfrutar da mesma experiência de alta qualidade e sabor de quem opta por ter as refeições no local, mas no conforto de casa. Um estudo realizado pelo Service Management Group descobriu que 35% dos clientes que tiveram problemas com um serviço de delivery de terceiros, acabaram por culpar o restaurante pela má experiência vivenciada.

“No momento, os restaurantes acham que estão gerando muitos negócios com o uso de serviços de delivery terceirizados, mas em três anos, eles vão perceber que doaram 30% de seus negócios pagando comissão por esses serviços”, diz Jeremy Seaver. “Temos nossos próprios motoristas de delivery. Nós mesmos fazemos isso. Não temos drivers de delivery de terceiros.”

Com esses levantamentos e dados, é possível afirmar que ter um delivery próprio é muito mais vantajoso. Mas aqui não queremos definir quem é o mocinho e nem quem é o vilão nas operações de entrega. Que tal associar os benefícios de cada uma dessas vias? Se você possui uma empresa nova no mercado, pode colocar apenas parte dos esforços em delivery terceirizado. É uma excelente forma de manter a divulgação do seu produto e serviço junto a essas plataformas e ainda poderá investir o restante dos esforços em um sistema de delivery próprio.

Ficou interessado? Conheça as soluções em gestão e delivery da Yooga. Acesse aqui e faça o seu teste gratuito por 7 dias.

Tudo que você precisa saber sobre criar um serviço de delivery próprio para o seu restaurante

Descubra aqui pontos cruciais que farão a diferença na hora de operar um sistema de delivery específico para o seu restaurante.

Desenvolvendo um sistema próprio delivery

A escolha por desenvolver um sistema de delivery próprio para o seu restaurante envolve uma análise cuidadosa, com orçamento e planejamento. Para te auxiliar, separamos aqui algumas considerações e questões que valem a pena abordar se você estiver interessado em desenvolver uma operação de entrega própria para o seu negócio.


1. Tenha em mente a contratação de uma equipe dedicada e funcional

Assim que seu restaurante processar mais de 30 pedidos de entrega por dia, você precisará contratar um funcionário que se dedique a esse departamento. Essa será a pessoa encarregada de acompanhar todo o movimento gerado através de um pedido até a saída do restaurante, e é quem estará sempre atenta aos prazos de entrega. Ela quem irá verificar se a comida ou produto está no preparo correto. E a partir desse ponto, ela quem irá preparar as embalagens desses pedidos para viagem, com os devidos materiais promocionais, e de forma adequada para manter a temperatura e a qualidade dos pratos.

Conforme seu delivery gera boas experiências aos seus clientes, a tendência é crescer e ter um número maior de pedidos. Não hesite em investir na sua equipe e na possível contratação de mais colaboradores.

2. Pense nas embalagens para os seus produtos

Certifique-se de que a experiência que seu cliente recebe ao abrir a embalagem ou sacola está de acordo com a marca do seu restaurante. Se suas batatas fritas estiverem encharcadas no momento em que seu motorista chegar à porta de alguém, esse consumidor pode nunca mais querer comer algo do seu restaurante - especialmente via delivery.

3. Veículos e equipe de entrega

Para entregar refeições aos seus clientes, você precisará pagar pelos serviços de motoboy. Se você não tiver um estacionamento próprio ou estacionamento na rua prontamente disponível para o seu restaurante, isso também pode ser um problema.

4. Dinheiro para o combustível

Alguns acordos com motoboys envolvem pagamento de combustível para esses profissionais. Atente-se a isso e alinhe durante a negociação para incluir esse investimento no seu planejamento financeiro.

5. Ajuste seu espaço para entregas de alto volume

Tem uma cozinha apertada? Lembre-se que você ainda precisa de espaço para armazenar cada pedido depois de preparado. As prateleiras tornam mais fácil o trabalho de reunir os pedidos para os entregadores, deixando tudo prontamente visível e acessível.

Dica bônus: colocar os pedidos em ordem alfabética irá facilitar a localização para os entregadores e agilizar ainda mais a sua entrega.

6. Escolha um método de comunicação

Quando um entregador sai para a sua rota de entrega, ele precisa ser capaz de se comunicar com você se algo der errado no caminho. Você deve disponibilizar um telefone aos entregadores para uso exclusivo? Eles usarão o próprio telefone e você irá reembolsar os valores pelos minutos usados ​​no trabalho? Todas essas considerações custam dinheiro, mas a longo prazo pode valer a pena o investimento. Como foi falado aqui, é necessário planejar e ter na ponta do lápis os gastos comparativos e avaliar se vale mesmo a pena investir no seu negócio ou ceder uma grande porcentagem de seus lucros a empresas de delivery terceirizadas.

7. Defina um sistema de gestão e delivery

Dê preferência a um sistema que facilite a sua vida e proporcione indicadores para saber sobre o desempenho do seu restaurante. Uma ótima sugestão é o sistema de delivery próprio da Yooga, que traz maiores facilidades associadas ao seu estabelecimento, com seleção da abrangência da área de entrega, solicitações de pedidos sem nenhum custo adicional ou taxas, equipe específica para a estruturação do cardápio digital, com fotos e descrições, e muito mais. Economize tempo para empreender ainda mais no seu negócio e também para se dedicar mais a você.